RSS

Gorjetas, caixinhas de natal, gratificações: dar ou não, eis a questão.

O entregador do jornal e o entregador da revista me disseram pra lembrar deles na caixinha de natal...A gente ainda está em Abril...
Quando estive na Venezuela no ano passado, era a tal "propina" para tudo. E alguns se achavam no direito de exigir propina em dólar, já que o bolívar Venezuelano é uma moeda fraca...Bem, nós tivemos um problema com a nossa mala que foi roubada por lá, chegamos ao hotel, exauridos, e vem um sujeito, arranca a mala que restou da minha mão e exige a gorjeta em dólar...
Mnha amiga Val, comentava comigo que em Araguari/MG, essa questão da gorjeta é mais sutil. Não é uma obrigação...aqui em Rio das Ostras e Macaé tem sido...
Pra estacionar o carro na rua tem que pagar, se alguém vem prestar um serviço na sua casa se vc não dá uma boa gorjeta é unha de fome...
E no salão? A manicure arranca um bife da tua mão e você tem que dar gorjeta?
Eu vejo a gorjeta como um reconhecimento do trabalho e da sua satisfação, ela precisa ser espontânea. Nada a ver, a gente se sentir constrangido a dar gorjetas...
Quanto a caixinha de natal, eu faço questão de contribuir. Só não gosto quando a caixinha, ou a gorjeta se tornam uma imposição para que seja prestado um bom serviço.
É preciso deixar separado, o dinheiro do serviço e o da gorjeta ?E quando executam vários serviços na sua casa em um mesmo dia?O que se faz?Somos simples mortais, sem dinheiro na cueca, etc. Às vezes eu não sei como agir...

5 comentários:

Adelino disse...

Viviane, gostei do seu post. Gorjetas são problemas. Sabe qual é o "macete" quando alguém vem prestar serviço em sua casa? Deixe que ela veja que você está com intenção de dar gorjeta. Assim ela fará um serviço com mais boa vontade. Se der a gorjeta apenas no final do trabalho, aí complica. Outro caso engraçado, se é que pode ser assim considerado, é quando você chega, estaciona, não tem ninguém. Dez minutos depois, quando entra no carro aparece o "guardador". Se você não der nada, ele diz:
- Tudo de bom para o senhor...
Claro que não há sinceridade nesses votos...
Então você responde:
- O dobro para o senhor também...
Beijos

vivendo disse...

Adelino,
ri muito do caso do dobro pra vc também!Vou seguir esses passos!beijo, Vivi

Georgia disse...

Depois eu venho ler.

Só lembrando que amanha 18 de Abril tem a Blogagem Coletiva "O que voce faz para acabar com o analfabetismo no Brasil?"

Abracos

Claudia Pit disse...

Oi Viviane, que lindo seu blog, parabens!

Em relação ao seu post, sempre fico na duvida em dar ou não a gorjeta, pois muitas vezes o valor não corresponde ao que a pessoa espera e acaba substimando-a ou então, quando ela é "estipulada" como prêmio de um bom atendimento!

Claro que, existe a excessão da "contribuição" em vespera de natal que vejo como um carinho a mais...

até mais,
Cláudia Pit
ps.: obrigada pela visita.

ana maria disse...

é realmente um problema...eu sinceramnete não gosto, mas a gente se sente tão constrangida com a cara que as pessoas fazem que se tornou uma imposição, quando posso evito, mas se o serviço é bem feito, o legal é a espontaneidade da ação.
Beijos!